Allan Kardec

Allan Kardec

sábado, 4 de dezembro de 2010

CARACTERES DO HOMEM DE BEM

        Na questão 918, do "O LIVRO DOS ESPÍRITOS", Allan Kardec perguntou aos Espíritos: "Por que indícios se pode reconhecer em um homem o progresso real que lhe elevará o Espírito na hierarquia espírita? Eles responderam: "O espírito prova a sua elevação, quando todos os atos da sua vida corporal representam a prática da lei de Deus e quando antecipadamente compreende a vida espiritual". Ao caminhar de acordo com a lei de Deus, o homem de bem prossegue em busca da perfeição moral. Todos seus atos devem ser voltados para a prática da lei de justiça, do amor e da caridade. O Espírito ANDRÉ LUIZ, nos fala  como deve ser  o  procedimento do homem de bem,  na sua mensagem "EM FAVOR DE VOCÊ MESMO", psicografada pelo Médium FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER e publicada na Obra "AGENDA CRISTÃ", Edição FEB/99: "Aprenda a ceder em favor de muitos, para que alguns intercedam em seu benefício nas situações desagradáveis. Ajude sem exigência para que outros o auxiliem, sem reclamações. Não encarcere o vizinho no seu modo de pensar; dê ao companheiro a oportunidade de conceber a vida tão livremente quanto você. Guarde cuidado no modo de exprimir-se; em várias ocasiões, as maneiras dizem mais que as palavras. Refira-se a você o menos possível; colabore fraternalmente nas alegrias do próximo. Evite a verbosidade avassalante; quem conversa sem intermitências, cansa ao que ouve. Deixe ao irmão a autoria das boas idéias e não se preocupe se for esquecido, convicto de que as iniciativas elevadas não pertencem efetivamente a você, de vez que todo bem procede originariamente de Deus. Interprete o adversário como portador de equilíbrio; se precisamos de amigos que nos estimulem, necessitamos igualmente de alguém que indique nossos erros. Discuta com serenidade; o opositor tem direitos iguais aos seus. Se você considerar excessivamente as críticas do inferior; suporte sem mágoas as injunções do plano a que se precipitou. Seja útil em qualquer lugar, mas não guarde a pretensão de ajudar a todos; não intente ao que o próprio Cristo ainda não conseguiu. Defrontado pelo erro, corrija-o primeiramente em você, e, em seguida, nos outros, sem violência e sem ódio. Se a perfídia cruzar seu caminho, recuse-lhe a honra da indignação, examine-a, com um sorriso silencioso, estude o processo calmamente e, logo após, transforme-a em material digno da vida. Ampare fraternalmente o invejoso; o despeito é indifarçavel homenagem ao mérito e, pagando semelhante tributo, o homem comum atormenta-se e sofre. Habitue-se à serenidade e a fortaleza, nos círculos da luta humana; sem estas conquistas dificilmente sairás você do vaivém das reencarnações inferiores". Conforme foi mostrado por André Luiz, o homem bondoso é humanitário e belevolente para com todos, porque vê irmãos em todos os homens, sem distinção de raças, nem de crenças. Que assim seja! (Romeu Wagner, Belém, Pará).

Nenhum comentário:

Postar um comentário